Do verdão para Argentina: Lapidados por Filé, Caio e Rafael se transferem para o Weber Bahía Blanca

A Sociedade Esportiva Palmeiras segue sua tradição em formar jogadores e mais dois atletas realizaram a transição para o adulto nas terras férteis do Palestra Itália. Caio Pacheco e Rafael Paulichi, destaques do Sub 19 do alviverde em 2017, serão os novos reforços da equipe adulta do tradicional Weber Bahía Blanca, da Argentina.

Caio Pacheco, armador, chegou em 2016 no verdão, após passagem pela seleção brasileira de base e ser destaque no Nosso Clube Limeira. Em seu primeiro ano pelo Sub 17, Caio, além de jogar pelo Sub 17 do verdão, subiu para o Sub 19 alviverde. Já em 2017, Pacheco, nas mãos do coach Felipe Luiz Santana, o Filé, subiu notavelmente de produção e foi um dos destaques do verdão pelo Juvenil do Palestra. Com Filé, Caio se mostrou um armador extremamente técnico e habilidoso, não sendo refém de seu bom arremesso do perímetro. Além disso, é ótimo passador e também infiltrador, mostrando, portando, muita habilidade em realizar bandejas, bandeja reversas e com as duas mãos.

Rafael Paulichi, por sua vez, chegou no meio da temporada de 2016, pelo sub 19, após boas passagens pela base do Círculo Militar e Liga Sorocabana. O atleta chegou com finalidade de substituir as ausências dos alas-pivôs Wallison Guilherme e Pedrão. Logo de cara caiu nas graças da torcida Palestrina, com sua garra e raça. Foi em 2018, contudo, que Paulichi cresceu extremamente de produção, se tornando uma poderosa arma, seja ela no perímetro ou no garrafão. Com uma ótima visão e trabalho do coach Filé, Rafa, atuou praticamente toda sua carreira como ala-pivô e pivô, mas em 2017 mudou de posição. Com 2.02m de altura e muita versatilidade, Filé fez Rafael virar um ala moderno, atuando menos na posição “4”, mas pricipalmente como ala. Passou a ser uma poderosa arma alviverde no ano passado, com técnica dentro do garrafão e abrindo para chutar dos três pontos.

Os dois atletas irão jogar na Liga de Desenvolvimento da Argentina (Liga Desarrollo) ,extremamente competitiva e muito mais forte do que a nossa. Os dois Palestrinos, regularizados, deverão fazer sua estreia hoje, às 19 horas (horário local), diante o Argentino Junín. Ademais, também irão disputar a Liga Nacional de Básquet, competição adulta, na equipe do técnico Sebastián Ginóbi. Além dos dois brasileiros recém-chegados, o Weber Bahía Blanca conta com o brasileiro Gerson Silva, ex Mogi.

Anúncios

Voa, craque: Revelado pelo verdão, Nicolas acerta com o Corinthians para a Liga Ouro

Um dos destaques da base do alviverde está deixando o verdão e se transferindo para outro gigante do basquete brasileiro. Nicolas Ronsini, armador e ala-armador, será o novo reforço do Sport Clube Corinthians para a Liga Ouro.

nick.jpg
Revelado pelo verdão, Nicolas Ronsini é o novo reforço do Corinthians (Foto: Fabio Menotti/AG.Palmeiras/Divulgação)

Nicolas Ronsini fez praticamente toda a sua formação na Sociedade Esportiva Palmeiras, chegou no verdão em 2013, ainda pelo Sub 15, após ótimo ano em Metodista. Durante os cinco anos em que permaneceu no Palestra e, principalmente, no último ano de Sub 19 (2017), Nicolas foi o cara dos times do verdão. Bom marcador do perímetro, o jogador não se restringe apenas à  parte defensiva, mas é extremamente técnico e habilidoso. Nas mãos do técnico Felipe Luiz Santana, o Filé, o atleta formado pelo alviverde passou por uma transformação em seu jogo no ano de 2017. Atuando sempre como ala, no ano passado Ronsini passou a jogar como armador, ala-armador e ala, o que fez se tornar um jogador polivalente, moderno, além de melhorar ainda mais sua performance dentro de quadra. Com 1,92m, o novo reforço alvinegro ainda tem ótimo arremesso do perímetro e foi o cetinha do verdão na última temporada pelo Paulista Sub 22, com médias de  16,71 pontos; 4,71 assistências  e 6,57 rebotes. Já pelo Sub 19, o atleta teve médias 11,78 pontos; 5,44 assistências e 5,33 rebotes.

Além de Nicolas, o Corinthians acertou as vindas do armador Gustavo Lima, dos alas Guilherme Schneider e Aquiles Novo, e do pivô Pedrão. O novo contratado do SCCP será treinado pelo jovem e ótimo técnico Bruno Savignani, companheiro de Filé na seleção brasileira adulta.

 

Jogou no Palmeiras, foi coordenador e agora é técnico: conheça Gustavo, nosso novo treinador do Sub 12 e Sub 13

Com a volta das categorias pares, isto é, Sub 12, Sub 14 e Sub 16, o verdão precisou reforçar a comissão técnica para 2018. O experiente técnico Adriano Geraldes chegou  para as categorias Sub 16 e Sub 17, Willians Manzini será treinador do Sub 14 e Sub 15 e Felipe Luiz Santana (Filé) continuará com o Sub 19, mas para as categorias menores, ou seja, Sub 12 e Sub 13, a Sociedade Esportiva Palmeiras realizou uma feliz aposta: Gustavo Rocha, ex atleta do clube, ex coordenador de basquete será o novo treinador do verdão.

Gustavo foi ex atleta profissional do alviverde, ainda na época da volta da nossa modalidade à elite. Participou do vice-campeonato da Super Copa Brasil (2012), junto com o ala-pivô Lucas Moura Costa, atual coordenador de basquete do Palestra.  Apesar de ter ficado com a segunda posição em derrota para o Mogi das Cruzes por 93 x 79, o Palestra garantiu a vaga no NBB seguinte (Novo Basquete Brasil). Durante a competição, o verdão realizou cinco partidas, e Gustavo teve médias de 4.6 pontos por partida.

gustavo.jpg
Gustavo comandou as escolinhas de basquete do verdão neste ano (Foto: Tadeu Carvalho)

Foi em 2014, porém, que Gustavo mudou de função e se tornou coordenador de basquete da Sociedade Esportiva Palmeiras. Junto com Lucão foi o responsável por toda a logística do Palmeiras/Meltex e, posteriormente, de nossa base até o ano de 2017. Para 2018, Rocha mudará novamente de função e será o técnico do Sub 12 e Sub 13, categorias, em tese, mais importantes. São nelas que são lapidados, formados e desenvolvidos talentos  que o alviverde faz tão bem há anos. Embora esteja iniciando a carreira como técnico, é nítido que tem potencial e deverá ter um futuro de sucesso. Neste ano comandou as escolinhas de basquete do alviverde, selecionando jogadores para o Sub 12 de 2018 e a maneira pela qual trata seus futuros atletas é de extremo respeito e compatível com o perfil de técnico para faixa etária. Também conviveu diretamente com os treinadores Enio Vecchi (Osasco), Régis Marreli (Universo/Vitória) e esteve ao lado de Filé, melhor técnico da base desde de 2014, tornando-se, portanto, preparado para assumir a nova função de técnico da Sociedade Esportiva Palmeiras.

 

Palmeirense de coração e após ótimo ano em Cravinhos, o polivalente ala Pedro Passoni é o novo reforço do Sub 19 do verdão

A equipe Sub 19 da Sociedade Esportiva Palmeiras, sob comando do técnico Felipe Luiz Santana (Filé), segue se reforçando. Após a chegada do armador Igor Rocha, o ala-pivô Pedro Passoini, ex Cravinhos, é mais o mais novo reforço do alviverde imponente.

Com 1.97m, Pedro é um ala atlético e polivalente. Em sua última equipe, Cravinhos, Passoni vinha atuando na posição 4, sendo uns destaques do time do técnico Alexandre Escame, com médias de 11.81 pontos por jogo e 4.76 rebotes. Apesar de ter atuado praticamente como ala-pivô em 2016, em 2017 deverá também jogar como ala 3. Com a saída do ala Rafael Paulichi, ala que atuou durante toda carreira como ala-pivo e só mudou nas mãos de Filé, Pedro é um jogador que lembra muito o ex capitão alviverde. Além de boa estatura para atuar nas duas posições, fundamentos dentro do garrafão, possui bom chute dos três pontos.

passoni.jpg
Pedro, além de bom chute do perímetro, é ótimo reboteiro (Foto: ViVendo Esportes)

Palmeirense de coração, Pedro Passoni, à pedido do Basquete Palestrino, falou sobre as expectativas de vestir o manto verde e branco. ‘’ Desde que eu comecei a jogar basquete, meu sonho sempre foi jogar no Palmeiras. Eu sou palmeirense, toda minha família é e agora que aconteceu de fato vai ser uma honra defender o manto alviverde’’, conclui Passoni. Questionado sobre seu novo treinador, o novo contratado do Palestra disse : ’’ Ser treinado pelo Filé será uma experiência espetacular, é um dos melhores treinadores de base do Brasil, um cara que realmente foca no desenvolvimento do atleta, tanto individualmente quanto coletivamente. Vai ser uma honra defender o Palmeiras ao lado dele e dos meus companheiros e farei de tudo para dar o meu melhor e ajudar o Palmeiras.’’

Referência em formação de atletas e com experiência internacional, Adriano Geraldes é o novo técnico do Sub 16 e Sub 17 do Palmeiras

O departamento de basquete da Sociedade Esportiva Palmeiras tem cara nova na comissão técnica para o ano de 2018. Adriano Geraldes, treinador de renome na base e de extremo conhecimento do basquete, chega para comandar as equipes Sub 16 e Sub 17 do verdão.

Apesar de ser contratado para treinar atletas de 15 até 17 anos, Adriano tem experiência com times adultos, além de passagens pela base nacional e até mesmo internacional. Geraldes comandou o adulto da Hebraica (2004), Univates, de Lajeado (NBB 2009) e Paysandu. Já em nível internacional, o novo coach do Palestra foi o técnico da seleção Sub 19 do Líbano, disputando o Mundial da categoria, na Sérvia, em 2007 e também teve passagens pelo Adidas Camp e Adidas Nations.

click
Adriano realizou ótimo ano no Mackenzie (Foto: Michael Oliveira/Click Sports 3)

Além da experiência internacional e com times adultos, Geraldes também é conhecido por ser um técnico de extrema habilidade e facilidade em lapidar e formar atletas. Comandou a base do Continental (SP), Hebraica (SP), Monte Líbano (SP), Winner Limeira (SP) Ipê Clube (SP), além da Seleção Paulista Sub 15 e Sub 17.

Foi em seu último clube, contudo, que Adriano chamou ainda mais atenção. Treinando o time do Mackenzie Tamboré, o novo coach palestrino fez bonito neste ano e no ano passado. Fez muito com pouco. Em 2016 conquistou a medalha de Bronze do Campeonato Metropolitano Paulista Sub 14, ao derrotar o Esporte Clube Pinheiros. Em 2017, Adriano realizou um ano ainda melhor com o Mackenzie. Além de ser o único time que derrotou o forte Pinheiros, time que veio a ser o campeão, foi  vice-campeão Metropolitano Sub 15 e conquistou o Bronze do Estadual.

 

 

Guerreiros: Com elenco com jogadores de até 14 anos, Sub 17 do Palmeiras é vice-campeão

Após uma excelente reação no último quarto da semifinal diante do Esporte Clube Pinheiros, tirando uma desvantagem de 11 pontos, a equipe palestrina, apesar de realizar grande primeiro tempo na final diante o Clube Atlético paulistano, tomou a virada e sofreu o revés por 69 x 61, ficando, portanto, com o vice-campeonato Estadual.

 

Embora não tenha conquistado a medalha de ouro, o time do técnico Adaga fez bonito neste ano. Depois da perda de atletas importantes, por exemplo o ala- armador Elton Oliveira (E.C.Pinheiros) e Juan (Campinas Basquete Clube), a dispensa de alguns, o alviverde teve que remontar o seu plantel. Contudo, não foi apenas isso que o Palestra teve como desafio. O elenco do Palestra Itália foi o mais jovem da competição, com jogador de até 14 anos, dois do Sub 15, sete do Sub 16 e apenas cinco do Sub 17 e, apesar disso, o Palmeiras conquistou uma honrosa medalha de prata que só aumenta ainda mais o feito do comandante Adaga e de seus atletas.

17.jpg
Plantel do Sub 17 (Foto: Divulgação)

João Santos, 14, o caçula do time, disputou apenas uma partida pelo Sub 17, diante o Campinas, mas sua presença era constante nos treinos da equipe. Já Arthur, ala e cestinha do Sub 15 do alviverde e Luca, foram figuras mais presentes na equipe que conquistou a medalha de prata. Enquanto o primeiro realizou oito partidas pelo time Sub 17, o pivô Luca, em desenvolvimento com o verdão, foi figura diária nos treinamentos do segundo semestre. Contudo, o que mais chama a atenção foi a excelente participação dos atletas do Sub 16, muitas vezes sendo protagonistas nos jogos da equipe Sub 17. Por não ter equipe Sub 16, o verdão pode inscrever sete jogadores dessa categoria na de cima. São estes: Gabriel Oliveira, armador, Luiz Suman, ala-armador, Mateus Prado, ala-armador, Diego Oliveira, ala, João Camargo, ala e ala-pivô, Guilherme Batista, ala-pivô e pivô e Lukas Silva, pivô. Dos citados, João Camargo foi uma bela surpresa. Vindo de Bauru, o atleta realizou um ótimo segundo semestre, subindo inclusive para o Sub 19. Por sua vez, os jogadores, de fato, do Sub 17 foram: os armadores Francisco Arozena e Felipe Dalaqua, o ala Jonas (Bahia), o ala-pivô Antonio Maia e o pivô Vitão. Antonio Maia realizou um ótimo primeiro semestre, entretanto, no segundo foi para o basquete universitário dos EUA e retornou para as finais no intuito de ficar com sua equipe, apesar de não ter jogado. O hermano Francisco, o Chico, se lesionou ainda no primeiro semestre, mas voltou para a reta final do Sub 17 e Sub 19, sendo um destaque dentro e fora de quadra. Além de ser um líder, mostrando a garra argentina, é um jogador diferenciado com a bola na mão, possui ótima visão de jogo. Além deles, o armador Felipe, gatilho nas bolas do perímetro, foi o grande destaque do verdão, inclusive o cestinha do campeonato, com médias de 20.5 pontos por partida. Victor Azevedo, o Vitão, foi eleito o melhor pivô da competição e Jonas, o melhor ala, completam, pois, o elenco guerreiro do alviverde.

lukas.jpg
Comemoração pós vitória heroica diante o forte Pinheiros (Foto: Murilo Desimone)

Uma emocionante e bonita despedida

A equipe Sub 19 da Sociedade Esportiva Palmeiras conquistou a medalha de bronze do Campeonato Estadual Paulista ao derrotar o time de Bauru por 81 x 58. Característica do time do coach Filé durante todo o ano, o coletivo, mais uma vez, sobressaiu e cinco jogadores pontuam com dígitos duplos. Daniel, com 16 pontos, foi cestinha do duelo. O capitão Rafael, com 10 pontos e 9 rebotes, Nicolas Ronsini, com 14 pontos e 7 rebotes, Caio Pacheco, com 10 pontos, 5 assistências e 6 rebotes e Pedro Peçanha, com 11 pontos e 6 rebotes, foram outros destaques do alviverde imponente.

O jogo, além de resultar em mais uma medalha para o Palestra, marcou também uma bonita e emocionante despedida. Cinco guerreiros se dependem, por ora, da Sociedade Esportiva Palmeiras.  Nosso carioca, gente boa, inteligente e político Guilherme Magna, Eduardo Crespo, o Dudu, de Mococa, Pedro Peçanha e os palestinos NICOLAS RONSINI E RAFAEL PAULICHI encerram o ciclo na categoria de base e a goram se tornam jogadores profissionais. Em especial esses dois últimos atletas merecem uma simples, mas bonita homenagem.

Rafael Paulichi chegou no Palmeiras no meio da temporada passada. Aos poucos foi ganhando espaço e o palmeirense de coração caiu nas graças da torcida logo em seu primeiro ano com sua garra,  vontade e entrega. Não à toa virou capitão neste ano e peça fundamental no plantel de Filé. Pelo Paulista Sub 22, Rafa anotou 14.1 pontos, já pelo Sub 19 teve médias de 12 pontos e 7,25 rebotes. Apesar dos bons números, eles, entretanto, não mostram como o atleta evoluiu durante toda temporada. Foi neste ano que nosso capitão começou a atuar como ala e virar uma potente arma no perímetro, com bolas certeiras de longa e média distância. Com 2.02 de altura ,Paulichi se sobressaiu fora do garrafão, mas quando esteve dentro, também mostrou ter repertório e realizar jogadas de post baixo. Seu clico na Sociedade Esportiva Palmeiras, por enquanto acabou, mas certamente terá sucesso em times que disputam competições com o adulto.

 

ncico e ron
Rafael à esquerda (Foto: Divulgação)
rafa e nico.jpg
 (Foto: Reprodução)

 

Nicolas Ronsini é mais um daqueles que nós temos orgulho por ter revelado e contribuído e muito para sua formação como atleta e pessoa. Nicolas chegou ao Palestra em 2013, ainda pelo Sub 15 e foi nesse ano que conseguiu um dos títulos mais impressionantes da base palestrina, ao derrotar o Esporte Clube Pinheiros na final do Metropolitano. Palmeirense de coração, Nicolas foi sempre o destaque das competições que disputou pelo alviverde. Contudo, foi em 2017  que o atleta evoluiu ainda mais. Atuando sempre como ala, Filé fez Nicolas virar um polivalente jogador. Versátil, técnico, extremamente técnico e ótimo infiltrador, o palestrino, como Rafael cresceu demais durante a temporada e se tornou também um armador, com extrema habilidade podendo atuar nas posições ”1”, ”2” e ”3”. Foi o cestinha do alviverde pelo Sub 22 com médias de 17 pontos, já pelo Sub 19, Nicolas anotou 12,41 pontos por jogo . Durante sua passagem pelo Palestra, o palestrino conquistou três medalhas de ouro pelo (Sub 15 – Metropolitano e Estadual e Sub 19) além de bronze pelo Sub 17 e pelo Campeonato Adulto Aberto (2016) e convocações para seleção paulista e brasileira. Assim como Rafa, o armador se tornou um jogador adulto e temos a certeza de que terá sucesso em nosso basquete nacional. Obrigado por tudo e pelo ano, Dudu, Magnata, Pedrão, NICOLAS, RAFAEL e ao nosso coach FILÉ.

nicooo
Nicolas ainda pelo Sub 15 (Foto:Ç Reprodução)
nico
Nicolas pelo Sub 19 (Foto: Murilo Desimone)
FERNANDO RAZZO GALUPPO

Esportes. Italianidade. Sonhos. Memórias. Paixões

Ultras da Arena

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto.Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

Triple-Double

por Luís Araújo

Café Belgrado

por Guilherme Tadeu

Legião Palestrina

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto.Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

Basquete Palestrino

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto.Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

blog do Igor

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto.Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino