De Tupã e do verdão para a seleção

Tupã, cidade pequena e de 68 492 habitantes, localiza-se 439,5 Km da capital de São Paulo. Esse território não é muito falado, tampouco conhecido pelos brasileiros, mas é nele que nasceu uma das maiores promessas do basquete brasileiro e da seleção Sub 18, que disputará a Copa América em Julho deste ano. Trata-se do palmeirense Yago Mateus, de 17 anos. O atleta do alviverde tem um talento nato, habilidade e visão de jogo fora de série. O que parece impossível no basquete, para ele, torna-se fácil.  Yago chegou ao alviverde no ano de 2012 por meio dos olhares do técnico Willians Manzini, atual comandante do Sub 13 e Sub 14 do palestra. O jogador do Sub 17 e Sub 19 do Palmeiras já foi convocado em 2014 para o Campeonato Sul-Americano Sub-15, quando também foi eleito o MVP do torneio.

3
Yago em duelo contra os EUA
2
Yago com o troféu do título e de melhor jogador da competição 

Agora, mais velho e maduro, Yago será um das  peças fundamentais para a seleção sair com a medalha de ouro no torneio que acontece no Chile, na cidade de Valdivia, entre os dias 19 e 23 de Julho. Após disputar a LDB, a Liga de Desenvolvimento de Basquete, com atletas de até 22 anos, em 2015, Yago cresceu muito, não só como pessoa, mas princialmente com sua visão de jogo e distribuição de jogadas sem se precipitar e querer resolver o jogo sozinho. Na LDB, Yago foi o cestinha do alviverde, com médias de 11,3 pontos por jogo. Com isso, o atleta está mais do que que preparado para ser o protagonista e ajudar seus companheiros de equipe para que saiam com o título.

YAGO5
Yago foi  destaque do Palestra na LDB (Foto: Raphael Oliveira/LNB)

 

Além do armador Yago, a seleção tem os seguintes jogadores:

Armador: Felipe Ruivo (E.C.PINHEIROS)

Alas – Armadores: Danilo Sena (E.C.PINHEIROS) e Rafael Munford (E.C.PINHEIROS)

Alas: Aquiles Novo (E.C.PINHEIROS), Thiago Ribeiro (E.C.PINHEIROS), Artur Dimas (E.C.PINHEIROS) e Gabriel Galvanini (Bauru Basket)

Pivôs: Michael Uchendu (Bauru Basket), Lucas Caue (E.C.PINHEIROS), Victor Bafutto (UNICEUB/BRASÍLIA) e João Victor (C.R.FLAMENGO)

Técnico: Davi Pelosini (E.C.PINHEIROS)

Dos citados, Gabriel Galvanini, ex Palmeiras merce destaque. Alto para a posição e com ótimo chute do perímetro, o atleta de Bauru também infiltra muito bem em direção ao garrafão. Além dele, João Victor, do Flamengo e Lucas Caue, do Pinheiros, são outros nomes que merecem muita atenção. Ambos são dominantes em baixo da cesta, com ótimo trabalho de perna e com ganchos certeiros e ainda sabem jogar no perímetro.

jv
João Victor é uma das boas promessas do Flamengo, que já treina no adulto

 

 

 

 

 

 

O que muda no Palmeiras com a admissão do novo estatuto?

A Sociedade Esportiva Palmeiras pode a partir do segundo semestre deste ano ter um novo estatuto. Caso o Conselho Deliberativo aprove a mudança, o novo estatuto irá substituir o antigo, vigente desde de 1996 que sofreu alterações pontuais em 2004 e 2008. Esse estatuto, se modificado, irá valer para as eleições deste ano aos cargos de presidente e de conselheiros.

O que pode mudar?

Participação Política: Atualmente, para que sócios possam votar são necessários algumas obrigações. Dentre elas ter pelo menos dezoito anos e três anos como associado. Já para se candidatar ao Conselho são necessários oito anos. Se ocorrer a mudança no estatuto, os associados terão direito ao voto para as eleições com dois anos e de se candidatar aos cargos políticos com 6 anos. Com essa mudança, o Palmeiras terá um maior eleitorado.  É inegável que devido a essa alteração o clube tornará mais democrático se comparado com ano atrás em que apenas conselheiros detinham participação política.

Cargo Políticos: A cada dois anos, o alviverde troca de presidente. A nova proposta propõe o mandato à presidência de três anos com direito a uma reeleição. Ademais,  passariam a ser dois vices, e não os quatro atuais. Talvez essa mudança seja a mais polêmica, apesar de o período de dois anos ser curto para que tenham mudanças significativas. Casso não passe pelo Conselho Deliberativo, os sócios irão decidir em votação.

Profissionalização: Certamente a medida mais benéfica das propostas. O Palmeiras tem 26 diretores de cargos estatutários, isto é, sem remuneração.  O novo regimento irá cortar para oito diretorias (administrativa, jurídica, social, financeira , de planejamento, de marketing e comunicação, de futebol e de esportes). Em paralelo, o presidente poderá pagá-los e criar novos cargos remunerados (superintendências, gerencias e divisões). Essa mudança será fundamental para que esportes, como o Futsal e Basquete consigam ser autônomos e rentáveis.

Ficha Limpa: Para ocupar qualquer cargo eletivo no Palmeiras, como conselheiro, membro do COF, presidente ou vice-presidente, será preciso ter a ficha limpa nos últimos dez anos, tanto no regimento interno quanto na legislação em vigor.

Em suma, é inegável que a atual presidência comete erros, principalmente na gestão do futebol. Contudo, os acertos também devem ser mencionados e enaltecidos.  O clube social e o futebol não são mais deficitários, isto, é, geram lucros, os esportes não – profissionais tiveram uma redução de gastos sem que houvesse prejuízos diretos, entre outros acertos.

paulo
Nobre deve entregar o clube com um estatuto mais moderno em vigência (Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras)

 

 

 

No estouro do cronômetro, Alexei decide e Palmeiras supera Pinheiros

Após uma ruim atuação da equipe sub 19 do verdão, na última segunda feira, resultando em derrota para a equipe do Clube Atlético Paulistano (67 x 50), o time de Luiz Felipe Santana, mostrou uma postura diferente e suplantou o Pinheiros, fora de casa, por 74 x 72. O jogo de hoje teve caráter decisivo, pois ambos times são candidatos ao título e quem ganhasse teria vantagens nos playoffs e nos mandos de quadra. Com a vitória do Palmeiras, o alviverde, apesar de ainda ter que enfrentar adversários difíceis (Paulistano, Franca e Bauru), saiu do ginásio Azul com grande moral para o restante da competição, além de possivelmente jogar as partidas finais no ginásio Palestra Itália.

74
Vitória gigante do Palmeiras(Foto:Rafael Gammellone)

O jogo começou como o esperado, os dois times trocando cestas e um equilíbrio notório. Contudo, a partir da matade do primeiro quarto, o Palestra conseguiu ditar o ritmo, até então do embate e colocou uma vantagem que chegou até dez pontos. No entanto, o time local reagiu a quatro pontos, muito pelas infiltrações do ótimo ala Danilo Sena e por boas defesas. Com isso, o Palmeiras levou uma vantagem favorável de quatro pontos para o intervalo.

Na volta do segundo tempo, o time do Pinheiros começou a sobressair, mas em nenhum momento abriu vantagem, pelo contrário, o jogo sempre esteve equilibrado e com o Palmeiras na maioria das vezes à frente do placar. Nos últimos dez minutos aconteceu de tudo: provocações de ambos os lados, Yago chamando a responsabilidade do jogo, Luiz salvando os rebotes do Palestra, D12 mostrando uma enorme raça e Alexei decidindo no último segundo. Além disso tudo, o último quarto foi marcado por um nervosismo à flor da pele. Faltando cerca de 11 segundo, o duelo estava empatado em 72 x 72 e o técnico Filé pediu tempo. Após a pausa, o alviverde cobrou lateral no campo ofensivo, Zé passou pra Alexei e com uma infiltração, arremessou com auxílio da tabela, dando a vitória para o Palmeiras.

1
Duelo foi marcado pelo equilíbrio (Foto:Rafael Gammellone)

Destaques do Jogo: 

Alexei: Após sumida partida diante o Paulistano, Alexei foi o dono do jogo. Com estilo cadenciado, parecido ao de Nicolas Gianella e com jogo de 1 x 1 em baixo do garrafão, utilizando de ganchos similares a de Alex Garcia, o ala armador do Palmeiras foi gigante na partida, além de ter uma mão calibrada.

Yago Mateus: Assim como Alexei, fez uma irreconhecível partida contra Paulistano, porém isso foi exceção da regra. Yago mostrou mais uma vez que cresce em jogos difficiles, especialmente contra o Pinheiros. Do perímetro é mortal, infiltrando é letal e ainda descontrola seus adversários.

Wallisson Guilhereme (D12): Não basta ser raçudo, é diferenciado, literalmente se mata em quadra, faz uma papel importante: além de jogar em baixo da cesta contra os pivôs, abre muito bem para chutar.

Danilo Sena (Pinheiros):Apesar de ser do Sub 17, é um jogador diferenciado, muito habilidoso, maturo em quadra, não perde o controle do jogo e infiltra muito bem.

Próximos Jogos:

22/04 – Sub 16 E.C.Pinherios x S.E.Palmeiras – 20:30 horas

23/04 – Sub 17 S.E.Palmeiras x E.C.Pinherios – 17 horas

https://www.facebook.com/events/1115029771890384/?ref=1&action_history=%5B%7B%22surface%22%3A%22permalink%22%2C%22mechanism%22%3A%22surface%22%2C%22extra_data%22%3A%5B%5D%7D%5D

 

 

Se o futebol é melancólico, o basquete vai muito bem

Sociedade Esportiva Palmeiras. O nome já diz não vivemos apenas do futebol. Contudo, este é o carro chefe do Palestra, onde é concentrado um afluxo de investimento. Porém, se o futebol, no momento deixa muito a desejar, o mesmo não podemos dizer dos esportes não profissionais do Palestra, especialmente no que diz respeito ao basquete. Com um ínfimo investimento, com gente de dentro do clube  querendo reduzir (esportes olímpicos geram um deficit de cerca de 263.000 por mês), mesmo assim montamos times que, além de competitivos, brigam pelos títulos dos Campeonatos do Sub 12 ao Sub 19. Na noite desta terça feira, 22 de março de 2016, o Palestra mostrou mais uma vez sua força e colocou na roda o excelente time do Esporte Clube Pinheiros por 99 x 62.

pla
Com o resultado, o Palmeiras assume a liderança

A equipe visitante entrou quadra desfalcada dos alas Aquiles Novo e Thiago Ribeiro, ex Barueri. Mesmo com as ausências de ambos, o time Pinheirense é muito forte, tem um grande plantel, apesar de grande parte dos atletas jogarem o primeiro ano como jogador juvenil. O embate começou equilibrado, como era de se esperar, um jogo lá e cá, muito veloz, com defesas fracas de ambos. Pelo lado alviverde, a dobradinha do garrafão Zé e Wallisson foi muito eficiente, como os pivôs visitantes, Lucas Caue e Matheus Martins. Após os 10 primeiros minutos, o elenco de Davi saiu vitorioso por 17 x 20.

zé
Zé é especialista nos rebotes (Foto: ViVendo Esportes Produções)

Pelo segundo quarto, os comandados de Filet exploraram um jogo mais físico, cavando várias faltas, pendurando o time visitante. Os pivôs Lucas Caue e Matheus Martins saíram com 3 faltas. Ademais, a equipe do Pinheiros contou com a infeliz contusão do bom armador Felipe Ruivo, que teve uma grave entorse em seu tornozelo. Com isso, o Palmeiras melhorou no jogo, virou o placar, no entanto, não abriu uma grande vantagem. Saiu vencendo para o intervalo por 46 x 45 (29 x 25 no período).

Na volta de intervalo, apenas o Palestra voltou, a equipe do Pinheiros entrou no terceiro quarto apática, não viram a cor da bola. Foi neste momento que três nomes decidiram a partida para o Palestra: Yago, Wallisson Guilherme e Luiz Flávio. Foi absurdo o que eles fizeram, jogaram o fino do basquete. Yago mostra a cada dia mais o motivo de tanta bajulação em cima dele. Simplesmente gigante sua partida. Cavou faltas antidesportivas, deixou seus companheiros livres em baixo da cesta, fora os inúmeros dribles, que deixam seus adversários sem saber o que fazer, além da sua mortal bola do perímetro.  Luiz, por sua vez, desde que chegou ao Palmeiras mostra uma enorme evolução, muito disso garças ao treinador Filet. Luiz teve uma noite fantástica nas bolas de três pontos. Já Wallisson, além de ser mortal no perímetro, demostrou ser um atleta coringa. É ala-pivô, de origem, com grande presença dentro do garrafão, aliás especialista nas enterradas, hoje fez isso muito bem , porém abre para o chute de longa distância. Os nomes acima foram os grandes destaques do Palmeiras, mas não podemos de deixar de mencionar as belas atuações de Zé, grande reboteiro, João, muito bem nos chutes de três, Pedro, entrando muito bem e de Alexei, sabendo colocar a bola de baixo do braço, organizando a partida. Com isso, os palestrinos abriram uma vantagem de 17 pontos no terceiro período, administrando o último quarto.

yagoo.jpg
Contra o Pinheiros, Yago cresce de produção (Foto: ViVendo Esportes Produções)
D12
Wallisson, o coringa de Filet, foi muito bem de novamente (Foto: Luiz Pires/LNB)

Outras Categorias:

Sub 17: Joga quinta feira contra o Internacional de Regatas, no litoral paulista, às 20:30

Sub 12: Joga sábado contra o Regatas/Campinas, às 9 horas, no ginásio do Palestra Itália

Sub 13: Joga sábado contra o Regatas/Campinas, às 11horas, no ginásio do Palestra Itália

Sub 14: Joga sábado contra o Regatas/Campinas, às 13 horas, no ginásio do Palestra Itália

Sub 15: Joga sábado contra o Regatas/Campinas, às 15 horas, no ginásio do Palestra Itália

 

 

Atual Campeão Juvenil, Palmeiras, de cara nova, busca o bi

Após o título Sub 19 em 2015, depois de 32 anos, o juvenil do Palestra está de cara nova para este ano. Muitas mudanças foram feitas. Contudo, continuamos com um forte plantel, sem depender de apenas um único jogador  e certamente somos um dos favoritos ao título. Em relação ao time de 2015, Murilo (armador), Ítalo (ala), Cadu (ala) Gustavo (ala), Lázaro (ala-pivô) e Gabriel (pivô)  estouraram a idade da categoria e não fazem mais parte da equipe para 2016. Lucas Costa (ala-armador) e Victor Felipone (ala-pivô), que ainda poderiam disputar pela categoria, foram dispensados.  João (armador), Nicolas Ronsini (ala-armador), Luiz (ala) e Zé (ala-pivô)  são os remanescentes do time de 2015.

No que diz respeito aos novos atletas, chegaram o ala- armador Alexei, ex Joinville (jogou a última LDB), o ala Pedro, ex Bauru (jogou a última LDB), o ala-pivô  Walisson Guilherme, ex Joinville e Winner Limeira (jogou a última LDB) e os pivôs Caio Oliveira, ex Hebraica e Daniel Borges, ex Club de Regatas Vasco da Gama (jogou o último Brasileiro Sub 17 pelo Espírito Santos).  Dos citados, Alexei tem um estilo de jogo parecido com o Nicolas Gianella, cadencia a partida, gosta de infiltrar, joga com inteligência e ainda tem bom chute. Outro atleta que merece também ser destacado é o jovem Wallisson Guilherme. Wallison, apesar de ser alto (2,04m), tem mobilidade para jogar como ala, bom domínio de fundamentos com a bola e chute de longa distância.

alex
Alexei em confronto contra o Flamengo (Foto: Hedeson Alves/LNB)
D12
Walilisson na etapa da LDB sediada pelo Palmeiras (Foto: Luiz PiresLNB)

 

 

Até o momento, a equipe Sub 19 do verdão segue forte nos treinamentos , a falta de entrosamento, como aconteceu nos treinos da equipe juvenil no início do ano passado é normal, mas se a lógica acontecer, os comandados de Filé pegarão ritmo jogo durante o campeonato e será com toda a certeza uma missão muita árdua derrotarem o alviverde. Para a estreia, no dia 8 de março, em casa contra o Mogi das Cruzes, às 17 horas, o técnico palestrino contará com força total

Comparando com o ano passado, o time atual é mais baixo, no entanto, a geração Juvenil atual é inferior a de 2015, o que nos revela que se não temos um time forte fisicamente e de maior estatura, compensamos por termos um plantel de jogadores com características de maior agilidade e técnica.

Além do verdão que briga pelo título, aponto Paulistano como forte candidato, pois manteve a forte base do ano passado  e ainda trouxe o bom armador Gemadinha, destaque do time de Winner Limeira. A equipe do  Pinheiros  também tem um grande elenco e pode nos incomodar, apesar de ser um time com jogadores de primeiro ano de Sub 19 e Bauru, vice-campeão em 2015 são alguns dos times que apresentam potencial para o título.

Outras Categorias:

Sub 14: S.E. PALMEIRAS 26 X 25 Metodista ( Final Campeonato Início)

Sub 16: A.A. São Caetano 48 x 69  S.E. PALMEIRAS.

Sub 17: A.A. São Caetano x S.E. PALMEIRAS, , C.A. Paulistano 91 x 96 S.E. Palmeiras

Próximos Confrontos:

Sub 19: S.E. PALMEIRAS x Mogi das Cruzes, dia 8 de março, às 17 horas.

Sub 16: S.E. PALMEIRAS X E.C. Pinheiros, dia 12 de março, às 17 horas

Sub 15: S.E. PALMEIRAS X São Caetano, dia 12 de março, às 11 horas

 

Com grande passagem pelo Barueri, Larissa Wosniak é a nova treinadora do verdão

O departamento de basquetebol da Sociedade Esportiva Palmeiras está de cara nova. Após a saída do treinador Pisérgio Paraguai, que comandou as equipes Sub 13 e Sub 15 do alviverde no ano de 2015, Larissa Wosniak chega para ser seu substituto. Larissa irá treinar as equipes Sub 12 e Sub 15.

larissa.jpg
Larissa dando treino para o Sub 15 (Foto: ViVendo Esportes Produções)

Pela segunda vez o Palestra terá uma treinadora. Antes dela, Elisa Martins, atualmente no Mauá, já comandou o alviverde. Antes de chegar ao Palestra, Larissa teve uma excelente passagem  pelo Grêmio Recreativo Barueri, sendo eleita a melhor treinadora  pela Federação Paulista de Basketball no ano de 2013 pela categoria Sub 13.

Com sua vinda, o alviverde apresenta  uma grande equipe técnica. Além dela, Wiliians Manzini, campeão de tudo pelo Palmeiras, irá comandar os times Sub 13 e Sub 14, Filé, campeão no ano passado pelo Juvenil, ficou com o time Sub 19 e Adaga, com as equipes Sub 16 e Sub 17. Caso Larissa repita seu ótimo trabalho pelo Barueri, podemos esperar um ano com grandes chances de seus times Sub 12 e Sub 15 se sagrarem campões, até porque suas equipes sempre são muito bem formadas e treinadas.

Duelo de gigantes
Willians Manzini (Foto: Divulgação)

Em relação ao time Sub 12, Diogo Castro é o único remanescente da equipe campeã em 2015. Já o Sub 15 manteve os principais destaques (Luca Aguirre e Diego Oliveira) e ainda trouxe bons atletas. Raffael Mencarini e Samuel Menezes chegaram ao alviverde após boas passagens pelo Clube Atlético Paulistano e Jimmy Sumocoski, ex Círculo Militar.

jimmy.jpg
Jimmy Sumocoski (Foto: ViVendo Esportes Produções)

 

Em dia histórico, sub 19 do verdão quebra tabu e é campeão em plena Bauru

Com um jogo emocionante, com direito a prorrogação, o time Juvenil da Sociedade Esportiva Palmeiras é campeão da categoria em plena Bauru, no ginásio ITE.  A exemplo do jogo 2 da semifinal entre Palmeiras e Paulistano, a partida de ontem teve o mesmo cenário.  Jogo equilibrado, nervoso e também com tempo extra, mas dessa vez o Palmeiras saiu vitorioso nos 5 minutos adicionais por 69 x 72 e pode gritar campeão após longos 32 anos de espera da medalha de ouro, que não era conquistada desde 1983. E com isso, nos tornamos o maior campeão da categoria, com 8 títulos, ao lado de Esporte Clube Sírio E Sport Clube Corinthians Paulista.

Para sair campeão, o time de Filé contou com a maestria do armador Murilo Henriquy, depois de uma  temporada  em que perdeu jogos importantes do Sub 19 e da Ldb, devido a uma entorse no tornozelo. Mesmo com a grave lesão, Murilo foi de suma importância nos jogos da semifinal e o de ontem, sendo o cestinha da grande final. Com 11 pontos, só no último quarto, Murilo teve gigantes 27 pontos, colaborando e muito para o feito histórico do Palestra.

titulo
Comemoração pós título (Foto: Divulgação)

A Trajetória

Com um resultado pífio no ano de 2014, o Juvenil foi totalmente reformulado, além de perdas de jogadores e outros que estouraram a idade, apenas Egon, Murilo, Cadu e Ítalo continuaram. Somaram ao grupo, os meninos do até então sub 17, João, Lucão e Zé e o ala Nicolas Ronsini, do atual Sub 17, mas que sobe de categoria. E chegaram Luiz, ex Bauru, Gustavo, ex Paulistano, Alemão, ex São Caetano, Lázaro, ex Basquetebol italiano e a grande surpresa do pivô Gabriel Mendes, ex Barueri. Fora o treinador Filé que ficou o período de 2014 ausente do verdão,  mas antes disso já havia conquistando ótimos frutos no basquetebol alviverde e retornou em grande estilo no ano de 2015. Com uma tabela razoavelmente fácil nos primeiro duelos (Internacional de Regatas, Poá… ), o Palmeiras pode  entrosar o seu time e testar algumas opções. Contudo, ao decorrer do campeonato, viriam alguns dramas: A séria contusão do ala Vicor Egon, ótimo chutador do perímetro e a entorse do armador Murilo, deixando de longe de algumas partidas importantes. Mesmo assim, fomos caminhando aos poucos e com excelentes vitórias, por exemplo, contra o Pinheiros, fora de casa e contra o Paulistano, em casa, até então adversários que éramos fregueses na categoria, nos últimos anos. A calma reinava com o time Juvenil do Palmeiras, porém com o fim do time adulto do basquete alviverde, muitas indagações foram feitas: O futuro dos meninos no Palmeiras, a perda da chance de jogar NBB na temporada e se continuariam no alviverde. Só que felizmente, a cabeça dos meninos mostrou ser muito boa, muito em virtude ao trabalho que a psicóloga Solange Paes fez com os jovens. O tempo foi passando e o Palmeiras foi garantindo sua participação na Chave Ouro, com a vitória diante o Rio Claro, no interior. Terminamos em 3 lugar, atrás do Bauru, primeiro colocado e do segundo colocado, o time do Paulistano, mas a frente do Rio Claro, quarto colocado. Dito isso, as semifinais foram definidas com os confrontos entre Bauru x Rio Claro e Paulistano x Palmeiras. Bauru não teve muitas dificuldades para despachar o time do interior de São Paulo, já a série entre os times da capital, foi para testar o coração dos cardíacos. O Palmeiras, jogando no caldeirão Palestra Itália, obteve uma tranquila vitória  tranquila (63 x 56). No Paulistano, o time mandante deixou o Palmeiras levar o jogo para a prorrogação, com uma bola fenomenal do ala Victor Egon, mas no tempo extra, Mogi, ex SEP, definiu par o time rubro-negro . Assim, tivemos o jogo 3 em que o Palmeiras começou muito bem, chegou a abrir 21 pontos no terceiro quarto, mas mais uma vez, o time mandante diminui a vantagem e virou o placar e colocou uma diferença de 5 pontos no último minuto. Parecia que seriamos novamente eliminados pelo time do Paulistano (em 2013 fomos duplamente eliminados por eles, pelo Sub 16 e Sub 19). Só que a garra alviverde é algo extraordinário, os meninos jogam todos os jogos como se fossem os últimos de suas carreiras. E com uma bola de três de Lucão e outra de Egon, somado com um lance livre convertido por Murilo, viramos o jogo. O Paulistano até teve a chance de ganhar, mas Mogi titubeou no arremesso e o ala- pivô Vitão errou seu chute. Fim de jogo e uma classificação heroica e histórica para a final, após 18 anos. Paulistano 70 x 71 Palmeiras.

tania 2
Classificação épica no Paulistano (Foto: Tania Mijas)

Chegada a grande final, o Palmeiras pode reencontrar os ex Palestrinos e grandes ídolos de nossa base e agora Bauruenses, Henrique, Jaú e Wesley Sena. O time do interior jogava com a vantagem de decidir em casa, Tínhamos que ganhar em São Paulo e jogar muito na Cidade sem limites e foi isso o que ocorreu. Aqui, com um ótimo público, batemos o Bauru por 76 x 72 em grande dia de Cadu, autor de 16 pontos e de uma grande dobra em cima do gigante pivô Wesley. Com isso, o caminho da vitória estava traçado. Já em Bauru, no segundo jogo da decisão, com um ginásio fervendo e lotado, o Bauru estava com o jogo em suas mãos. Chegou a abrir 12 x 4. Todavia, o alviverde foi reagindo e deixando o jogo muito pareio até ser levado para a prorrogação, Lá , estivemos a frente do placar  em boa barte e HEROICAMENTE nos sagramos campeões, ganhando de 69 x 72.  Obrigado, Palmeiras , ao gigante técnico Filé e aos atletas João, Murilo, Nicolas Ronsini, Lucão, Egon, Luiz, Cadu, Ítalo, Gustavo, Zé, Lázaro, Alemão, Franklin e Gabriel. Vocês colocaram seus nomes na história da SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS.

jair 4
Ginásio do ITE recebeu grande público (Foto: Jair Orti)
jair 1
A garra alviverde foi fator crucial na jornada do time (Foto: Jair Orti)

O Futuro

Não sabemos o que acontecerá no ano de 2016,  muitas especulações foram feitas, que a base seria extinta, que atletas já estavam acertados com outros clubes, mas a realidade é que a base será mantida do Sub 12 ao 19 e que dentro de um a  dois 2 anos, o Palmeiras estuda usar a Lei de Incentivo ao Esporte, mas há alguns empecilhos deixados por gestões anteriores que estão dificultando o processo.  E para o time adulto, é necessário um patrocinador, como Paulo Nobre sempre disse. Em relação ao time profissional, como pedimos licença do NBB, caso voltem, será na divisão de acesso, no caso a Liga Ouro. Com isso, o investimento é bem inferior ao do NBB, mesmo assim teremos que ter um investidor próprio e certamente em uma possível participação da Liga Ouro, a base será muito bem usada. Atualmente quem dirige o departamento de esportes não – profissionais do verdão é o Gilson Marques, ex diretor da Sede do clube social social e quem nos garantiu nossa participação na LDB.

divulgação
Time Juvenil seria a base da possível volta da equipe adulto do Palestra (Foto: Divulgação)

 

 

 

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto. Textos escritos pelo futuro jornalista, Fernando Fernandes. Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

Ultras da Arena

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto. Textos escritos pelo futuro jornalista, Fernando Fernandes. Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

Triple-Double

por Luís Araújo

Café Belgrado

por Guilherme Tadeu

Legião Palestrina

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto. Textos escritos pelo futuro jornalista, Fernando Fernandes. Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

Basquete Palestrino

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto. Textos escritos pelo futuro jornalista, Fernando Fernandes. Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino

blog do Igor

Tudo sobre o basquete do Palmeiras, desde da base até o adulto. Textos escritos pelo futuro jornalista, Fernando Fernandes. Twitter: @basquetesep e Instagram: basquete_palestrino